ESCOLAS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES/AS NO BRASIL E EM PORTUGAL E A FEMINIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO

Amanda Rabelo

Resumo


Este artigo apresenta um histórico desde o período da colonização do Brasil por Portugal até os dias atuais da institucionalização das escolas de formação de professores/as e da sua relação com a feminização do magistério primário. Apresentaremos um esboço de algumas abordagens teóricas sobre história da educação, elegendo bibliografias de ambos os países que fizessem análises históricas com escolhas documentais alargadas e/ou diferenciadas, que deram ênfase também à análise das narrativas e dos discursos, bem como buscamos algumas fontes oficiais e dados estatísticos. Deste processo concluimos que esta é uma história de luta feminina entre discursos favoráveis e negativos à sua entrada nos cursos de formação para o magistério, de crescimento do número de mulheres e de saída dos homens dos cursos de formação, de valorização da condição feminina e do status da profissão, de abertura profissional às mulheres, entre outros aspectos que desenvolveremos no decorrer do artigo.


Palavras-chave


escolas normais; formação de professores; feminização do magistério; estudo comparado.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .